quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Endometriose



A endometriose é caracterizada pela presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina. É uma doença na qual partes do endométrio, camada que se forma no útero para receber o óvulo fecundado, são expulsas durante a menstruação e se instalam em outros órgãos do corpo. É importante ressaltar que 10% a 15% das mulheres em geral sofrem do poblema, sua incidência é de 25% das mulheres acima de 35 anos, e em 79%  dos casos , o tecido se instala nos ovarios.

Os sintomas associados são: 
  • Cólica menstrual intensa e com aumento progressivo da dor;
  • Em alguns casos, pode provocar dor durante a relação sexual;
  • Quando parte do tecido se instala na bexiga, a mulher pode ter dificuldade para urinar;
  • Se o endométrio se fixa no intestino, podem surgir fortes cólicas;
  • Quando a endometriose altera a anatomia da pélvis, devido às obstruções na trompas e às aderências de órgãos, a mulher pode se tornar infértil. É uma conseqüência, muitas vezes, reversível.
Muitas teorias tentam explicar a endometriose, porém ainda não existe nenhuma completamente reconhecida. O refluxo é a tese mais aceita  é que quando o sangue, ao invés de sair completamente durante a menstruação, sobe pela trompas e se instala em outros órgãos.
É normal haver refluxo durante a menstruação, porém nem todas as mulheres desenvolvem a doença. Acredita-se que uma deficiência imunológica faça a diferença nesses casos. Certas mulheres têm endometriose porque suas células de defesa não conseguem destruir o tecido que se instalou em outros locais do corpo. A herança genética também pode interferir para o surgimento do problema.
Para as mulheres que desejam engravidar costuma-se ultilizar medicamentos que eliminarão os focos da doença levando a mensagem ao cérebro de que a mulher está grávida. Assim, a fase da menstruação deixa de acontecer. É um tratamento com tempo limitado, de cerca de 6 meses. Para as que passaram por tratamentos anteriores sem sucesso, pode-se tentar a gravidez naturalmente ou por inseminação artificial. Para as que não querem mais ter filhos o tratamento é com medicamentos, pode ser feito em qualquer idade e por um tempo mais prolongado. Se necessário, uma cirurgia poderá ser realizada sem a preocupação de as alterações anatômicas do ovário provocarem infertilidade ou dificuldade de engravidar.
A videolaparoscopia, feita por meio de pequenas incisões no umbigo e em outros pontos da barriga, consegue resolver o problema. Em alguns casos, os especialistas queimam com bisturi elétrico os focos de endometriose e, assim, eles deixam de sangrar. A coagulação a laser também pode ser feita.
O tratamento fisioterápico  consiste em harmonizar o sangue, cessar o sangramento, diminuir a estagnação, acalmar e nutrir o sangue, cessar a dor.
 

 


Um comentário:

  1. Parabéns pela iniciativa.Um abraço Kessler Quinderé(Maisfisio)

    ResponderExcluir